segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Morre o ditador Kim Jong Il: que Deus abençoe a Coreia do Norte

A agência de notícias estatal da Coreia do Norte anunciou nesta manhã de segunda-feira (19) a morte do ditador Kim Jong Il. Oficialmente, ele havia morrido no sábado (17), na capital Pyongyang. O motivo teria sido por excesso de trabalho físico e mental. Mas, sabe-se que o ditador havia sofrido um derrame em 2008, e, desde então, sua saúde ficou muito debilitada, a ponto de, ultimamente, necessitar do uso de uma cadeira elétrica motorizada. Seu funeral está marcado para o dia 28.

O comando do país será assumido por seu filho Kim Jong Un. De acordo com alguns analistas, não se espera nenhuma mudança política de imediato. Apesar de que, devido a inexperiência de Jong Un, uma disputa interna pelo poder poderá ser desencadeada. Tendo os familiares do ditador que comandam o partido de um lado e os militares de outro.

Mesmo assim, em meio a muita cautela, há otimismo para o futuro da Coreia do Norte. Já que o país está arrasado e necessitando urgentemente de auxílio do exterior. A unificação está se tornando a única saída para atender a esta necessidade.

Outra esperança também está sendo sentida para os cristãos. De acordo com Don Wooding, jornalista britânico e fundador da ASSIST News Service, num comunicado divulgado hoje:

“a morte de Kim Jong Il é um evento cataclísmico na história da Coreia do Norte e pode finalmente anunciar o início da liberdade para o povo.”

Milhares de cristãos norte-coreanos residentes na Coreia do Sul têm se preparado para voltarem para a Coreia do Norte com o propósito de levar o evangelho para sua terra. Agora mais do que nunca a Coreia do Norte estará necessitando de nossas orações.

Ore para que o Senhor aproveite esse momento e leve a verdadeira liberdade que só acontece em Cristo Jesus para o povo norte-coreano.

quarta-feira, 7 de dezembro de 2011

Dia 7 – Onda Coreana: uma motivação para muitos

Não é novidade que a cultura sul-coreana é amplamente cultivada pelos norte-coreanos, mesmo que às ocultas. Entretanto, atualmente externar esta influência tem sido cada vez mais comum, principalmente entre os jovens. E, não há mais como esconder o impacto que a cultura sul-coreana vem exercendo na Coreia do Norte, por meio de seus dramas de TV, filmes ou músicas. Esta crescente influência está sendo chamada de “onda coreana”.

Agora, a fuga de nove desertores para o Japão confirmou um dado que exemplifica a importância da cultura do sul para os vizinhos do Norte. Todos foram diretamente influenciados por dramas ou filmes sul-coreanos e admitiram terem sido motivados pelas imagens de liberdade que fazem parte do dia a dia na Coreia do Sul.

Eles confirmaram, junto a outros relatos dos vários refugiados que têm deixado a Coreia do Norte diariamente, que a liberdade de expressão e a oportunidade de sustento garantido, comum a qualquer jovem do Sul, foram as reais motivações para fuga.

Uma refugiada lembrou que há nove anos ela assistiu um filme sul-coreano que dramatizou uma fuga feita por um pequeno barco de pesca, motivada pelo que viu a jovem, hoje com 25 anos, conseguiu a liberdade da mesma forma.

Houve, ainda, o caso de um outro refugiado que passou um ano e meio preso em um campo de reeducação, por ter sido pego assistindo a um programa de TV sul-coreano. E isso o motivou, ainda mais, para querer a liberdade assim que foi solto.

Entre os refugiados está Su Jeong Ok, que era um dos cidadãos mais ricos, antes de sua deserção, de Hyesan (uma importante cidade próxima na fronteira com a China). Ele explicou que os filmes sul-coreanos o incentivaram a vencer até mesmo o medo. Relatou, também, que só em pensar como era a vida na Coreia do Sul, mostrada através do que assistiu a vontade de ir se tornava tão forte que no dia da sua fuga, já não sentia mais medo.

Estes relatos mostram que a influência da “onda coreana” está crescendo em relação aos anos anteriores. O que pode ser tido como ótima oportunidade para a Coreia do Sul intensificar o apelo pela liberdade em sua programação.


Ore a Deus para que Ele esteja usando esta onda coreana.

Peça para que a igreja sul-coreana esteja participando e impulsionando ainda mais esta onda, propagando o Evangelho que traz libertação.


Fonte: King Mi Jin para DailyNK

terça-feira, 6 de dezembro de 2011

Dia 6 – Indisciplina militar aumenta na Coreia do Norte

Uma pesquisa feita pelo Instituto Coreano para a Unificação Nacional (KINU, sigla em inglês) constatou como um grave problema o alto índice de indisciplina entre os militares norte-coreanos. O fato vem se agravando desde a crise econômica de 1999, que resultou na morte de milhões de pessoas. A conseqüência dessa decepção resultou em relatos que mostram que é censo comum entre os militares dizer que irão “trabalhar duro” em prol do atual regime. Mas que na verdade as suas palavras tem sido diferentes das suas ações.

A pesquisa teve acesso a documentos internos que demonstram que questionar as resoluções do ditador, não executar totalmente as deliberações do Partido e a disputa por cargos individuais vitalícios apenas por interesse financeiros, são alguns exemplos do declínio da lealdade entre militares para com o regime de Pyongyang.

O relatório aponta também que a inadimplência e os crimes cometidos por militares, são decorrentes do alcoolismo, prática cada vez mais comum entre essa classe.

Noutro dado apresentado pelo instituto, consta que desde a subida no poder de Kim Jong Il, que colocou as questões militares como prioridade em seu governo, a corrupção tem ditado a direção do sistema.

Estes problemas da classe militar norte-coreana explicam a postura de morosidade que o regime tem tomado nos últimos anos, quanto a questão da unificação.

Além de revelar a fragilidade do alicerce do atual governo, a pesquisa traz a lume o provável motivo pelo qual os militares do Norte continuarão tentando sustentar seus privilégios, mesmo que independentemente do sofrimento da população.

Cabe saber até onde esta comodidade irá agüentar o inconformismo que vem crescendo entre o povo norte-coreano.

Peça ao Senhor que o arrependimento seja derramado entre o militares para que eles possam se unir a população civil e receber a libertação que há em Jesus, para toda a Coreia do Norte.

Fonte: Kim Tae Hong para DailyNK

segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

Dia 5 – Norte-coreanos sobrevivem com 200 gramas de alimento por dia

Um novo e, preocupante, relatório divulgado pela Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) através do Programa Alimentar Mundial (PAM) mostrou que a situação de desnutrição da população norte-coreana é ainda mais alarmante, principalmente entre as crianças.

Uma comissão foi enviada para visitar províncias agrícolas, mercados e até hospitais para coletar informações. O resultado do relatório demonstra que a desnutrição infantil duplicou durante o último ano em todo o país. Mesmo a colheita tendo um pequeno aumento de produtividade, o quadro nacional de distribuição de alimento tem continuado precário e ainda faltará comida para boa parte dos norte-coreanos que já sobrevivia com apenas 200 gramas de alimento por dia, nos últimos cinco meses, ou seja, menos de um terço do valor adequado (uma pessoa comum come por volta de 300 gramas por refeição). Esse escasso alimento é fornecido pelo governo por meio de seu controvertido Sistema de Distribuição Pública.

Para contornar a situação, a população está tomando suas próprias atitudes. Arriscando não serem compreendidos pelas autoridades (já houve um caso em que uma mulher entrou duas vezes na fila do arroz e foi executada sumariamente). Ousadamente, os moradores das áreas urbanas estão organizando expedições às montanhas para coletar alimentos silvestres, ou ainda, comprando informalmente do produtor rural. Em outros casos, buscam auxílio de familiares que moram no campo.

No entanto, o relatório da ONU apresenta como solução a adoção imediata de métodos simples de agricultura de conservação, que se baseia na perturbação mínima do solo e rotação de culturas permanentes. De acordo com analistas, o território norte-coreano tem em potencial o rendimento de produção de 4,3 toneladas por hectare de alimento. E, isso daria para alimentar 60% dos vizinhos sul-coreanos. Apesar disso, atualmente somente 13% do território é usado para plantio.

Se não houver uma mudança drástica na forma de lidar com o assunto “agricultura” para o próximo ano, a situação ficará insuportável.

Aparentemente, o governo não se intimidou com o relatório. Recentemente foi anunciado que as questões militares receberam prioridade governamental.

Peça a Deus para que a fome diminua na Coreia do Norte e acabe a injustiça em relação ao uso da terra. Ore pela libertação definitiva da Coreia do Norte. Peça ao Senhor que aumente a ousadia, que já está acontecendo, entre o povo norte-coreano que o medo acabe e se inicie uma união entre o povo por todo o país.

Fonte: Asian Scientist via Coalizão Internacional para Impedir Crimes Contra a Humanidade na Coreia do Norte

domingo, 4 de dezembro de 2011

Dia 4 – Kimjongilia: a flor e a mentira

Em comemoração ao 46º aniversário de Kim Jong Il, um botânico japonês criou uma flor hibrida que batizou de Kimjongilia em homenagem ao “Querido Líder”, de acordo com a filosofia Juche. A flor representa “sabedoria, amor, justiça e paz” e foi desenvolvida para florescer no mês em que se comemora o aniversário do ditador.

A partir desse exemplo, insano, de culto a pessoa do ditador que é imposta na Coreia do Norte, a cineasta N.C. Heikin, produziu um documentário denunciando as atrocidades que esse regime impõe à sociedade.

Através de relatos de sobreviventes dos campos de concentração, de alguns que chegaram até a passar a infância nas prisões, o documentário revela chocantes histórias que se tornaram comuns entre os norte-coreanos, como temporadas nas prisões por motivos irrisórios, fome devastadora e todo o tipo de repressão. Cada experiência é intercalada com propagandas controversas do governo norte-coreano, que monitora toda a ação de seu povo e traz uma severa retaliação a qualquer tipo de pensamento contrário.

O documentário já foi exibido em vários festivais de cinema pelo mundo, sendo muito bem recebido pelo público internacional. Tendo sido premiado como melhor documentário no Festival de Direitos Humanos e Democracia de Bruxelas em 2010.

Mesmo assim, em agosto do ano passado sua exibição foi cancelada na Coreia do Sul após o protesto da Confederação dos Sindicatos Coreanos, levantando a hipótese de que o documentário poderia atrapalhar as negociações comerciais inter-coreanas.


Peça a Deus para que o povo consiga VENCER O MEDO que a sangrenta ditadura da Coreia do Norte colocou sobre eles.

Ore ao Senhor pedindo para que a nação norte-coreana possa se UNIR contra a opressão do seu governo em direção a liberdade real vivida em Cristo.

Peça ao Senhor para proteger o povo norte-coreano e lhe dar a vitória.


Fonte: Kimjongilia

sábado, 3 de dezembro de 2011

Dia 3 – A situação de agricultores e desempregados continua precária na Coreia do Norte

Dados recentes mostram que a produção de grãos aumentou um pouco no último mês. Em razão das inundações que devastaram as plantações, principalmente a de arroz, a produção de grãos aumentou muito pouco no último mês. Apesar disso, o governo ainda insiste em divulgar que as metas para 2012 serão todas cumpridas. Na agricultura, promete-se uma produção de 7 milhões de toneladas de grãos. Hoje, a produção não chega a 4,5 milhões.

Muitos agricultores ainda estão morando em barracas de lonas improvisadas pelo governo, sem nenhuma previsão de retorno a suas terras arrasadas pelas chuvas em meados deste ano. Outro agravante é a cada vez maior concorrência de emprego. Com o fechamento de várias empresas, os operários procuraram trabalho no campo, excedendo a oferta de mão de obra.

A promessa de uma nação “forte e próspera” para o próximo ano, não encontrou credibilidade entre a população, pois, desde que a reforma da moeda no ano passado falhou, quase ninguém mais acredita no regime de Pyongyang. O que se espera é que este descontentamento possa criar forças para que o povo norte-coreano exija a liberdade que lhe é direito.

Peça ao Senhor pelos desabrigados por causa das chuvas, pelos desempregados em função da economia decadente, pelos que passam fome, pelos que estão presos injustamente, pelos trabalhadores escravizados, pelas crianças e mulheres que morrem de fome e sem assistência, enfim, por todos os norte-coreanos que precisam de liberdade.

Ore para que a terrível realidade da Coreia do Norte não seja esquecida e os olhos do povo sejam abertos definitivamente.

Ore para que em breve Deus seja o Senhor dessa nação.

sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Dia 2 – Natal poderá ser um símbolo de esperança para os norte-coreanos

Pelo segundo ano consecutivo, o Ministério de Defesa da Coreia do Sul, atendeu ao pedido de um grupo de cristãos e autorizou enfeitar uma torre de aço próxima a fronteira inter-coreana durante o período de Natal.

Serão colocadas cerca de 100 mil lâmpadas em uma torre de 30 metros na colina de Aegibong no lado sul-coreano, estrategicamente localizada perto da fronteira. A intenção é de que a torre se torne um símbolo de esperança para o povo norte-coreano, já que ela poderá ser vista a quilômetros de distância, principalmente quando iluminada durante as noites.

Não é apenas na Coreia do Norte que, durante o Natal, a procura por saber quem é Jesus aumenta consideravelmente em países onde há perseguição aos cristãos. Por este motivo, os ministérios internacionais e a igreja local procuram aproveitar ao máximo o simbolismo do Natal para tornar mais conhecido o evangelho de Salvação por meio de Jesus Cristo.

Ore para que o povo norte-coreano entenda o significado do Natal e, assim, encontre um momento para conhecer Jesus.

Peça a Deus pela libertação total do povo norte-coreano.

Ore ao Senhor pelos muitos povos (árabes, hindus, animistas, indígenas e outros) que podem ser alcançados, neste clima de natal, pela história do nascimento de Jesus.

Fonte: Yonhap News via LiberateNK

quarta-feira, 30 de novembro de 2011

Dia 1 – Mais evidencias da atual crueldade vivida na Coreia do Norte

Faltando poucos dias para o início de 2012, o governo norte-coreano iniciou uma retomada desesperadora contra o tempo na construção civil. O motivo é que no próximo ano comemora-se o centenário de nascimento de Kim Il-Sung, líder da revolução comunista que criou a atual República Democrática da Coreia do Norte.

Como parte das comemorações serão realizadas uma centena de festividades, incluindo alguns eventos de caráter internacional. Porém, com a falta de recursos financeiros para finalizar a série de construções – como o Hotel Ryukyong que possui 105 andares e está inacabado a mais de 20 anos, uma loja de departamentos, teatros e a construção relâmpago de um condomínio de apartamentos na capital – foram convocados estudantes universitários de todo o país para trabalharem maciçamente.

A intenção é mostrar ao mundo que o país atendeu a sua meta de construir uma nação próspera até 2012, coincidindo com as comemorações. Entretanto, os sinais da realidade já estão se mostrando. O novíssimo condomínio foi erguido rapidamente em quatro meses, causando uma preocupação entre a população que já está morando lá quanto à estrutura do prédio que pode estar fraca o suficiente para desabar a qualquer instante.

Outro problema que as autoridades norte-coreanas estão enfrentando é a terrível conseqüência de ter convocado estudantes e não mão-de-obra qualificada. Há dados de que os poucos meses de trabalho servil nas construções públicas, custaram a vida de mais de 200 estudantes, devido à falta de segurança e recursos apropriados nas obras.

O silêncio do governo e a relutância da população em confirmar este fato, tem demonstrado a gravidade da situação.

Peça a Deus para que a verdade seja descoberta.

Ore para que o mundo e, principalmente, os norte-coreanos abram seus os olhos para situação caótica em que se encontram e lutem por sua liberdade.

Clame ao Senhor pela salvação em Cristo Jesus para a Coréia do Norte.

Fonte: Yonhap News e Daily NK

segunda-feira, 7 de novembro de 2011

Dia 7 – Aumenta o consumo de drogas entre as crianças norte-coreanas

Ainda de acordo com relatos recentes de refugiados, um mal que está se tornando cada vez mais comum na Coreia do Norte é a dependência de drogas. A situação está tão alarmante que até mesmo em crianças do ensino fundamental o consumo de drogas se tornou corriqueiro, a ponto de não haver nenhum tipo de repreensão, já que a influência vem dos próprios pais.

Como é natural que uma criança, devido a precariedade nacional, tenha diarréia ou colite, os pais sem dinheiro ou por não haver medicamentos, tendem a ferver ópio para usar como analgésico. Porém, devido a popularização da metanfetamina que seria mais barata, ela tem sido cada vez mais procurada.

A metanfetamina entra livremente na Coreia do Norte através da China e é fácil encontrar pontos de vendas em todo o país. Geralmente, uma família compra uma grama de cada vez e é consumida por todos os familiares. Há regiões em que 60% da população é viciada nesta droga. O preço de uma grama de metanfetamina equivale a 22 gramas de arroz. Como é raro se dar ao luxo de ter três refeições por dia, a opção por consumir a droga se tornou a alternativa mais viável. A ponto de ser normal as pessoas carregarem para todo lugar um canudo para sugar a metanfetamina, inclusive entre crianças do ensino fundamental.

A dependência da droga também tem outro motivo, a fuga da realidade. Como não há liberdade, nem esperança na Coreia do Norte, as pessoas buscam sentir pelo menos um curto prazer, infelizmente, esta escolha é seguida pelos filhos. O governo nem ao menos reconhece qualquer problema nesta área, e, não se tem idéia de quais serão as conseqüências disso.

Peça a Deus a libertação da Coreia do Norte, também das drogas. Clame pela libertação definitiva desse povo. Peça ajuda ao Único que pode ajudar a Coreia do Norte.

Fonte: ICNK – International Coalition to Stop Crimes against Humanity in North Korea

domingo, 6 de novembro de 2011

Dia 6 – Até na Coreia do Norte todas as coisas colaboram

A política norte-coreana para religião é simples: aniquilamento sumário. Entretanto, mudanças tem sido notadas em relação à perseguição religiosa no país. Não devido a alterações nas leis, mas nas atitudes daqueles que monitoram as atividades religiosas. Os cristãos ricos da Coreia do Norte não estão sendo presos, em função de pagamentos feitos em troca de sua liberdade. Com a crise econômica que o país enfrenta e a falta de confiança do povo para com o governo, nunca se valorizou tanto quem tem dinheiro.

No passado, a punição rigorosa para suspeitos de atividades religiosas seria imediata, no entanto, atualmente eles estão sendo liberados mediante esses pagamentos.

Ás vezes, quem não possui dinheiro suficiente, acaba sendo transformado em informante não recebendo, assim, uma clara punição. Infelizmente, com isso, outro fenômeno tem se tornado comum, a descoberta de falsos crentes. Devido à falta de condições, muitos norte-coreanos têm admitido ser cristãos para receberem a ajuda de custo que as igrejas subterrâneas oferecem, através de subsídio de organizações internacionais infiltradas no país.

Literalmente, o que está acontecendo dá vida aquele versículo que diz: “todas as coisas colaboram para o bem daqueles que amam a Deus” (Romanos 8:28).

Ore para que esses irmãos continuem livres e que o Senhor proteja a igreja subterrânea dos falsos crentes. Peça a Deus pela liberdade definitiva da Coréia do Norte.

Fonte: ICNK – International Coalition to Stop Crimes against Humanity in North Korea

sábado, 5 de novembro de 2011

Dia 5 – Petição em favor de mãe e duas filhas presas na Coreia do Norte a 25 anos

Dr. Oh Kil Nam é um sul-coreano que, na década de 80, estava estudando economia na Alemanha, quando recebeu uma promissora proposta de emprego e graduação na Coreia do Norte. Os agentes do governo norte-coreano também prometeram a cura para sua esposa, Shin Sook-Ja, que sofria de hepatite. Seduzido por estas promessas, Dr. Oh decidiu entrar na Coreia do Norte em 1985, levando consigo sua esposa e suas duas pequenas filhas, Hye Won e Gyu Won.

Porém, assim que desceram no aeroporto de Pyongyang, Dr. Oh descobriu o erro que havia cometido. A família foi imediatamente levada para um acampamento militar, onde foram forçados a aprender os ensinamentos do ditador Kim Il Sung. Após este período, ele recebeu um posto na rádio estatal.

No ano seguinte, devido a sua experiência de estudos na Alemanha, foi instruído a voltar para lá com a finalidade de conquistar outros estudantes sul-coreanos para, assim como ele, se agregarem ao regime de Pyongyang. Entretanto, não lhe foi permitida levar a sua família. Sua esposa, Shin Sook, o aconselhou a aproveitar a oportunidade e fugir para sua terra natal. Foi exatamente o que ele fez.

No momento em que o governo norte-coreano tomou conhecimento da fuga, encaminhou sua esposa e filhas para o campo de prisioneiros de Yodok. Desde então, todos os seus esforços são para conseguir a libertação delas. Isso, mesmo com a resposta do governo, admitindo que mantinha a sua família como refém em retaliação a sua fuga, considerada como alta traição.

Muitos refugiados que estiveram em Yodok confirmaram terem conhecido a família do Dr. Oh.

Logo abaixo, está o link para assinar a petição pedindo a libertação de Shin Sook-Ja e suas filhas ao governo norte-coreano:

www.ohkilnam.com

Ore para que esta mobilização atinja o seu propósito e que a esposa e as filhas do Dr. Oh sejam libertadas. Peça a Deus pela libertação total da Coreia do Norte, sua cristianização, a segurança do seu povo, dos prisioneiros cristãos e não-cristãos.

sexta-feira, 4 de novembro de 2011

Dia 4 – Alerta contra possível extermínio de cristãos e não-cristãos na Coreia do Norte

A grande expectativa da provável abertura que a Coreia do Norte estaria sendo forçada a realizar, levanta uma hipótese terrível que pode transformar a esperança nas possibilidades em tristeza. Se tomarmos um dos piores atos hediondos cometidos na história da humanidade como modelo.

Com a abertura das fronteiras, que tem se tornado um ato necessário para a sobrevivência da nação norte-coreana, a exposição para o mundo da realidade da população seria inevitável. Todas as mazelas e injustiças sentidas pelo sofrido povo que habita debaixo do regime de Pyongyang, estarão vindo às claras para o restante da humanidade. O que poderá desencadear uma ação repressora direta contra o governo do ditador Kim por parte das Nações Unidas.

Historicamente, esta circunstância já ocorreu antes e a alternativa usada para que governos ditatoriais se salvaguardassem, foi a eliminação total das “provas do crime”. O fato ocorrido de maior relevância, foi durante a Segunda Guerra Mundial, quando o regime nazista, percebendo que havia sido derrotado e tendo seu território invadido pelos aliados, decidiu acelerar processo chamado de “solução final” para o extermínio de judeus. E, num ato implacável de crueldade sem precedentes, assassinou maciçamente milhares de judeus, durante os poucos dias que restavam. Deixando para trás vários campos de concentrações empilhados de cadáveres e uns poucos sobreviventes, em estado deplorável (soldados russos relataram que descobriram alguns campos guiados pelo cheiro dos corpos decompostos).

Não é difícil esperar que o atual governo norte-coreano, que é reconhecido pela implacável brutalidade e insensibilidade para com seu próprio povo, opte pela mesma alternativa de extermínio usada pelos nazistas. Sabe-se que há cerca de 100 mil presos nestes campos, sendo 30 mil somente de cristãos. Porém, estes números são especulações e podem ser ainda maiores!

O tratamento bárbaro dado para os cristãos norte-coreanos é diferenciado do restante da população. Há relatos de cristãos sendo esmagados por rolo-compressor, usados em experimentos biológicos, tendo recém-nascidos empalados em frente de suas mães e outras atrocidades, muitas vezes, semelhantes a que os judeus experimentaram durante a Segunda Guerra.

Ore para que mesmo com a abertura, o governo norte-coreano não execute nenhum cristão e ninguém! Peça a Deus para impedi-los de cometer isso! Somente a interferência direta do Nosso Deus pode garantir essas vidas e, somente nós, podemos dar esse direito a Ele!

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Dia 3 – Interceda pela Coreia do Norte

Atualmente há muita expectativa em relação ao futuro da nação norte-coreana. Com o colapso econômico que o país enfrenta, onde o comércio é praticamente movimentado por mercadorias contrabandeadas, e, 90% da população passa fome, sendo esse o pior índice mundial, a Coreia do Norte tem como única saída, a abertura política. Seguindo o modelo da glasnost feita pela Rússia na década de 90 e, recentemente, pela China, o atual regime tem enfrentado o dilema de responder o apelo mundial. Pois, ainda espera-se que em breve as fronteiras norte-coreanas possam ser abertas para receber todo o tipo de auxílio de outros países.

Esse é um momento propício para que as orações da igreja possam fazer maior diferença nas decisões tomadas pelos governantes em Pyongyang.

Peça a Deus para que sejam levantados mais intercessores.

Ore pela liberdade completa dessa nação.

Declare, como igreja, a presença do Senhor na Coreia do Norte.

quarta-feira, 2 de novembro de 2011

Dia 2 – Clamor global pela Coreia do Norte

Em 1999, um grupo de jovens ativistas sul-coreanos criou um slogan: “Direitos humanos para Coreia do Norte” e iniciou um movimento alertando sobre a realidade vivida no norte da península. Na época, muitos não deram credito, porém, ao invés de desistir esse grupo perseverou em atrair a atenção, não apenas de sua nação, mas de todo o mundo. Hoje, esse assunto sobre direitos humanos na Coreia do Norte está no topo da Agenda Global de Direitos Humanos da ONU. O alerta tem despertado ainda o interesse de vários segmentos: governamentais, civis e eclesiásticos.

Atualmente, a Coreia do Sul entendeu que a questão de direitos humanos no norte não é um assunto exclusivo de políticos e ativistas, mas de toda a população. A partir de então, vários eventos culturais tem sido promovidos no sul para a conscientização do problema. São festivais de cinema sobre esse tema e até inúmeras exposições em igrejas e universidades.

O que se espera de toda essa mobilização é que o mundo tome conhecimento sobre as terríveis condições vividas pela população da Coreia do Norte e, assim, se encontre mais formas de interferir e auxiliar esse país.

Ore para que Deus leve muito longe a mensagem desses eventos, transformando em um clamor global. Peça ao Senhor pela libertação definitiva da Coreia do Norte e que eles venham a conhecer Aquele que os libertou.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Dia 1 - Uma oportunidade na Coreia do Norte

Um grupo de membros da Igreja Central Manmin em Seul, está pronto para cruzar a fronteira com a Coreia do Norte e adentrar país a fora, numa das mais ousadas campanhas evangelísticas da igreja coreana.

Baseado em relatos de refugiados, o grupo pretende aproveitar a futura abertura assistencial que a Coreia do Norte está sendo forçada a realizar e penetrar no país que é o maior perseguidor de cristãos no mundo. Com o propósito de levar o Evangelho, fortalecer a igreja subterrânea local e prestar todo o auxílio que for necessário. A Igreja Central Manmin, que possui sua sede, incrivelmente, a apenas 193 km da capital Pyongyang, tem um abrangente trabalho de abrigo a refugiados em território sul-coreano.

A situação atual norte-coreana é tão preocupante, que já fugiu do controle governamental, devido à desesperadora realidade da população que está perecendo pela fome.

A única saída seria um tipo de abertura para receber ajuda de outros países, o que se espera para qualquer momento. A Coreia do Sul, como sempre fez, já está se prontificando a encabeçar essa assistência. Conjuntamente, um dos países mais motivados, tem sido até agora, os Estados Unidos.

O mais interessante, é que esses corajosos cristãos que pretendem cruzar a fronteira para fazer essa assistência, se sentem prontos, até mesmo, para serem martirizados se necessário viesse a ser.

Ore por essa oportunidade, para que o Evangelho seja espalhado por toda a Coreia do Norte. Peça que a Verdade seja revelada produzindo liberdade completa e definitiva.

Fonte: Assist News

sexta-feira, 7 de outubro de 2011

Dia 7 – A última cortina de ferro está sendo quebrada

Uma série de mudanças ministeriais internas tem demonstrado que uma disputa pelo poder está acontecendo nas altas camadas do comando do governo norte-coreano. Com a saúde debilitada de Kim Jong Il e a inexperiência e inexpressividade de seu filho, Kim Jong Eun, algumas autoridades estão travando uma verdadeira guerra de influências dentro do regime de Pyongyang. Mesmo acompanhando as mudanças, a população nada pode fazer a não ser aguardar os resultados. De modo geral, o governo está totalmente desacreditado e a sua credibilidade continua em decadência.

De acordo com relatos de desertores, nunca anteriormente, os produtos contrabandeados da Coreia do Sul foram tão maciçamente consumidos quanto nos dias atuais. Desde vestuário, cortes de cabelo, até gírias comuns entre os sul-coreanos, se tornaram usuais nos grandes centros da Coreia do Norte, principalmente, na capital Pyongyang. Mesmo com a proibição do governo, CDs e DVDs de músicas, programas e filmes sul-coreanos são distribuídos às ocultas até mesmo entre funcionários e militares. Aparelhos de TV portáteis e celulares são os mais procurados pela população, geralmente vindos da China. Isso tem se tornado uma ótima oportunidade para vários ministérios transmitirem uma programação evangelística aos que vivem no norte da península coreana, trazendo consolo e salvação.

Ore para que esta estratégia seja ampliada. Pegue como fogo! E cada vez mais a divulgação do evangelho seja penetrada na população norte-coreana.

Peça a Deus para que um impacto similar ao ocorrido no caso do Pr. Yousef Nadarkhani, possa ser feito também pela Coreia do Norte.

quinta-feira, 6 de outubro de 2011

Dia 6 – Clamor pela Coreia do Norte

Desde o final do mês passado, o Corpo de Cristo espalhado pelo mundo tem travado uma verdadeira batalha espiritual em favor do pastor iraniano Yousef Nadarkhani. O governo do Irã já sentiu a pressão externa e tem se abalado com a força gerada por cristãos nos quatro continentes. Este acontecimento deve ser usado como um modelo do que acontece quando a Igreja pede a Deus e age em favor de uma causa. Também do poder que ela pode exercer em qualquer lugar no planeta. Mesmo que seja em países remotos governados pela tirania cega.

Este ideal é uma realidade em iniciativas criadas por cristãos que vivem na Coreia do Sul, até mesmo na China, Japão e EUA. Desde programas de rádio e televisão, transmitidos especificamente para o povo norte-coreano, até o envio de balões contendo folhetos, CDs ou DVDs, mostrando a verdade que liberta.

Muito já se tem feito e alguns frutos já se têm colhido, mas é preciso intensificar a ação, principalmente na oração porque nela estamos dando direito de Deus agir onde não temos acesso. Hoje, mais do que nunca, a Coreia do Norte está precisando desesperadamente das orações da Igreja em seu favor.

Ore para que Deus levante o Seu rosto sobre a nação norte-coreana, trazendo a salvação por meio da liberdade.

Continue pedindo a Deus em favor da vida do pr. Yousef, para que a verdade prevaleça.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

Dia 5 – A decepção pode ser um começo na Coreia do Norte

Em uma série de reportagens feitas pelo jornal Daily NK, entre refugiados na China, constatou-se que a falta de esperança num futuro melhor e o descontentamento com o governo são os maiores sentimentos da população norte-coreana. Com a falência do atual plano econômico, o que resultou na execução do ministro da economia no ano passado, a vida se tornou pior e mais difícil ainda. Inúmeras fábricas tiveram que fechar suas portas e os seus operários foram forçados a trabalhar no campo, exclusivamente visando sobrevivência alimentar, isso mesmo continuando a morar nas cidades. O comércio local também parou e os únicos produtos comercializados são os que foram trazidos da China. Isso incentivou o contrabando de vários gêneros de produtos, que muitas vezes passam pela fiscalização através de subornos. O mais chocante, foi que o consumo de drogas tem aumentado consideravelmente entre os norte-coreanos. Mascarados como medicamentos, vários tipos de drogas tem sido consumidos como "remédios alternativos", quase sempre com indicações dos próprios médicos. São usados principalmente nos tratamentos de coluna (mal que atinge a maioria da população) e de câncer.

A declaração mais comum, entre os entrevistados, foi estarem conscientes da decepção que sentem com o regime de Pyongyang, mesmo assim, nada podem fazer por medo da retaliação feita a qualquer um que demonstra a mínima insatisfação ou opinião diferente da que foi imposta. Como os intelectuais são considerados os piores inimigos do estado, a população se sujeita à alienação para não sofrer qualquer tipo de opressão. Mesmo guardando o verdadeiro sentimento, não revelam nem entre os familiares. O sentimento comum é sempre responder "está tudo bem" e nunca questionar. Ninguém acredita mais no governo nem mesmo entre as autoridades.

A decepção pode, mesmo, ser um começo. Este é momento mais propício para revelar a população norte-coreana a esperança encontrada no Senhor Jesus!

Peça ao Senhor que se revele ao povo norte-coreano!

Não esqueça de pedir pela vida do pastor Yousef Nadarkhani (condenado a morte pelo Irã por apostasia), pois o cristianismo é o tipo de amor que aumenta toda vez que dividimos!

Fonte: Daily NK

terça-feira, 4 de outubro de 2011

Dia 4 – Cartas para os norte-coreanos

Uma campanha criada por Coalizão pela Liberdade da Coreia do Norte e apoiada pela Missão Portas Abertas, incentiva cristãos a escreverem cartas à população norte-coreana essas cartas serão lidas durante a programação da Rádio Coreia do Norte Livre.

A campanha tem o propósito de levar esperança e consolo aos norte-coreanos. Aos interessados em escrever uma carta, devem enviar ao e-mail prayer@odusa.org, com no máximo 300 caracteres e deve incluir seu nome e país. A carta deverá ser escrita em inglês (você pode usar o tradutor de texto do Google). Como o programa vai ao ar semanalmente, poderá ser enviada mais de uma carta.

É importante que o que seja escrito tenha muita emoção, pois exatamente esse sentimento será o que nossos irmãos norte-coreanos irão receber.


Ore a Deus por mais essa campanha em favor do povo norte-coreano.

Peça ao Senhor pela libertação definitiva da Coreia do Norte, de seus presos em geral e especificamente por aqueles que foram presos pela fé em Jesus.

Peça em favor do pastor Yousef Nadarkhani (pastor sentenciado a morte por apostasia no Irã), para que Deus o mantenha vivo e que seja totalmente livre para exercer a obra do Senhor no Irã.


Fonte: Open Doors International

segunda-feira, 3 de outubro de 2011

Dia 3 – Campanha pede a libertação de mãe e filhas presas na Coreia do Norte a 35 anos

Uma campanha recente tem tomado a atenção da mídia sul-coreana. Desde agosto deste ano, a Igreja Evangélica de Hyundai em Tongyeong, sul da Coreia do Sul, iniciou uma campanha em prol da libertação da cristã Shin Sook-Ja e de suas filhas que estão presas no campo de concentração de Yodok na Coreia do Norte a 25 anos. A campanha contou com o apoio de toda a cidade e tem se espalhado por todo o país. Uma petição local obteve com mais de 75 mil assinaturas. Exposições sobre a história de Shin chegaram a serem feitas em universidades e em outras igrejas. Uma exposição permanente na Igreja de Hyundai tem atraído centenas de pessoas todos os dias.

Uma delegação formada pelos membros da igreja, pretende ir à Coreia do Norte neste final de ano, para negociar pessoalmente com as autoridades locais sobre a libertação de Shin e de suas filhas.

Ore pela liberdade da irmã Shin Sook-Ja e de suas filhas. Ore pela libertação definitiva da Coreia do Norte e um ótimo e rápido acordo de unificação.

Não esqueça de pedir a Deus sobre a libertação do pastor iraniano condenado a morte, Yousef Nadarkhani, proteção para sua família e advogado.


Fonte: Persecution.org

domingo, 2 de outubro de 2011

Dia 2 – Crimes contra a humanidade na Coreia do Norte

Cerca de 40 organizações ligadas a direitos humanos, sendo algumas cristãs, entregaram à ONU um pedindo de abertura de um inquérito sobre crimes contra a humanidade, denunciando os abusos cometidos pelo regime da Coreia do Norte. Enfatizando os vários campos de concentração espalhados pelo país, onde mais de 200 mil norte-coreanos estão presos, muitas vezes com seus familiares, vivendo quase toda a vida sob torturas, trabalhos forçados e fome. Deste número, aproximadamente 30 mil são de cristãos presos por causa de sua fé em Jesus.

Esse inquérito da ONU sobre o tratamento desumano do governo contra sua própria população, pode ser uma condição que será usada nas negociações sobre a unificação das Coréias, para que o Norte mude suas leis internas e condutas opressivas.

Espera-se que, com a pressão da ONU, o canal de diálogo religioso aberto pela Coreia do Norte recentemente, possa alcançar seus objetivos em favor do povo norte-coreano, aumentando a ajuda humanitária e fortalecendo os cristãos de lá.

Ore para Deus abra o entendimento dos governantes para essas mudanças necessárias e a esperança vença a opressão que aflige o povo norte-coreano.

Peça a Deus pela libertação, proteção e consolo do pastor iraniano condenado a morte Yousef Nadarkhani e de todo norte-coreano preso no corredor da morte.


Fonte: Agencia FIDES

sábado, 1 de outubro de 2011

Dia 1 – Condenados a morte na Coreia do Norte

Nesta última semana de setembro um acontecimento inesperado chamou a atenção do mundo para o poder da mídia e das redes sociais. Em menos de 24 horas o nome do pastor iraniano Yousef Nadarkhani, se tornou conhecido em todos os continentes e foi motivo de um movimento que repercutiu além dos meios cristãos. Condenado a morte por enforcamento a menos que se recusasse a continuar cristão, em seu último julgamento ocorrido na quarta passada, o Pr. Yousef não negou a sua fé em Jesus, fazendo com que fosse automaticamente sujeito a execução. Como o caso estava sendo acompanhado por alguns ministérios cristãos, logo foi disseminado um pedido de apelo em seu favor. A reação chegou até as autoridades de alguns governos que estão interferindo no caso. Ele não foi executado e um pedido de libertação incondicional foi entregue ao governo iraniano.

Infelizmente, os nomes dos cristãos norte-coreanos que estão sendo condenados à morte, não chegam sequer a serem conhecidos fora dos estabelecimentos governamentais do regime de Pyongyang. Não se tem idéia de quantos estão sendo condenados a morte hoje, nem de quantos estão aguardando julgamento. A única informação é que aproximadamente 30 mil cristãos estão presos na Coreia do Norte, sem maiores detalhes sobre a situação de cada um.

Ore para que, assim como a Igreja atuou interferindo no caso do pr. Yousef, também possa atuar na situação dos cristãos norte-coreanos.

Peça para que a liberdade de Deus seja derramada sobre a Coreia do Norte, sobre pr. Yousef e todos que foram condenados à morte de forma injusta.

quinta-feira, 22 de setembro de 2011

Dia Internacional de Oração pela Coreia do Norte


Hoje, em vários países, acontece o Dia Internacional de Oração pela Coreia do Norte.

Ore pelos vários motivos apresentados ao longo destes dois anos intercedendo pelo país que mais persegue os cristãos em todo o mundo.

Lembre-se dos, aproximadamente, 500 mil cristãos secretos que sobrevivem em território norte-coreano. Além, dos 30 mil que estão presos devido a sua fé.

Acesse os motivos de oração postadas neste site.


quarta-feira, 7 de setembro de 2011

Dia 7 – Clamor em favor das mulheres norte-coreanas que sofrem violência sexual

Um recente estudo divulgado pela Aliança Norte-Coreana pelos Direitos Humanos, revelou uma triste realidade vivida pelas mulheres que vivem na Coreia do Norte, a violência sexual. Lá, praticamente não existem organismos responsáveis que dão assistência à mulher, que sofrem constantes abusos tanto em casa como no ambiente de trabalho. Devido à cultura local que não reconhece os direitos da mulher, a violência domestica é uma prática tão comum, que se uma mulher decide denunciar seu cônjuge, acaba sendo duramente repreendida pela própria polícia. Nos locais de trabalho, a discriminação é latente e as humilhações morais são constantes, já que as posições mais elevadas são ocupadas por homens que geralmente acabam permitindo e, até mesmo, incentivando essas práticas.

Ainda pior é a situação das mulheres que decidem fugir para China. Por causa de sua vulnerabilidade natural, muitas mulheres acabam sendo abusadas durante o percurso antes de conseguirem encontrar um abrigo seguro. Isso, sem falar da escravidão sexual, a que o governo chinês costuma fazer “vistas grossas”, onde a mulher norte-coreana chega a ser vendida como concubina. Aquelas que acabam sendo capturadas e repatriadas sofrem ainda maiores agressões como forma punitiva.

A vergonha da violência sexual contra a mulher é um dos pontos mais delicados na conversação que levará a unificação coreana.

Ore em favor das mulheres norte-coreanas que sofrem estes abusos.

Peça a Deus para que as console e as restaure moral, física e espiritualmente.

Ore pela liberdade definitiva do povo da Coreia do Norte e sua cristianização.


Fonte: Peace Women


terça-feira, 6 de setembro de 2011

Dia 6 – A oração da Igreja é fundamental para a unificação coreana

Estamos vivendo um importante momento para a Coreia do Norte, é essencial que o Corpo de Cristo se uma, pedindo a Deus para que as negociações para a unificação das Coréias aconteça sem volta de forma certa e, que principalmente, Deus se torne o Deus dessa nova nação.

Deus já está agindo, diante da posição atual do regime de Pyongyang em retomar o diálogo, podemos concluir que estão sendo movidas as barreiras, onde antes parecia ser impossível.

Atualmente, muitos norte-coreanos nem sequer tiveram a chance de ouvir falar sobre Jesus, a pobreza e o morticínio estão com níveis cada vez mais altos como fruto dessa ignorância. Contrastando com a Coreia do Sul, que está entre os países mais desenvolvidos do planeta, as diferenças se tornam gritantes. Enquanto o Sul é considerado o melhor local de se viver no extremo oriente, o Norte é o pior.

Outra diferença é a mais estarrecedora, enquanto o Norte é o lugar mais perigoso para um cristão, 30% da população sul-coreana é composta por cristãos. Esta porcentagem significativa influenciou o próprio progresso.

É interessante observar que há cerca de três décadas atrás, os cristãos também viviam sobre forte pressão do governo da Coreia do Sul. Mas, à medida em que o cristianismo foi sendo reconhecido pelo governo, o desenvolvimento nacional foi ampliado até chegar ao modelo atual, que é um exemplo econômico mundial.


Ore para que a unificação aconteça sem barreiras.

Peça a Deus pela libertação total e definitiva da Coreia do Norte e a sua cristianização.


segunda-feira, 5 de setembro de 2011

Dia 5 – Ajuda humanitária à Coreia do Norte

Apesar de repreender duramente qualquer manifestação religiosa, até hoje, o regime de Pyongyang abriu neste mês de setembro um novo canal de conversação com líderes religiosos da Coreia do Sul, com a finalidade de obter ajuda econômica. Nos últimos meses, várias instituições ligadas a esses líderes, receberam aprovação do governo para enviarem mantimentos e medicamentos à desnutrida população norte-coreana. Apesar da forte crise entre os dois países, a Coreia do Norte está demonstrando que reconheceu a sua própria situação de falência agravada pela escassez de alimento.

Uma coalizão formada por 54 instituições não-governamentais com base na Coreia do Sul, responsáveis pela ajuda humanitária em solo norte-coreano, estão pedindo ao governo do Norte que abra um “corredor humanitário permanente”, facilitando o acesso às várias regiões que enfrentam todo o tipo de necessidade.


Ore para que o pedido das agências humanitárias seja aceito e, assim, a ajuda aos norte-coreanos possa aumentar.

Peça ao nosso Senhor que liberte, definitivamente, a Coréia do Norte.


Fonte: Agência Fides


domingo, 4 de setembro de 2011

Dia 4 – Nossas orações estão sendo ouvidas

Neste mês de agosto, o ditador Kim Jong Il realizou uma série de viagens aos únicos dois países que possuem aliança com a Coreia do Norte, Rússia e China, onde afirmou que estaria disposto a retomar o diálogo para o programa de limitação do uso e feitio de armas nucleares “sem precondições”. Esse é o primeiro passo em direção a unificação: a paz!

Aparentemente, desta vez, a Coreia do Norte tomará a iniciativa de continuar as conversações sem exigir nada ou abandonar as reuniões, como sempre fazia.

Para muitos esta nova postura se deve a uma crise interna, onde o ditador estaria perdendo apoio de importantes autoridades do seu próprio governo.

Juntamente com essa declaração, o governo da Coreia do Norte convidou autoridades religiosas da Coreia do Sul para retomarem a “Conferência Coreana Religiosa pela Paz”, extinta há cinco anos.

Líderes de várias denominações estarão no mês de setembro conversando com políticos e autoridades civis norte-coreanas, sobre questões referentes à ajuda humanitária que várias entidades, ligadas a essas denominações, tem prestado no território do Norte e que tem sido essencial para a sobrevivência de muitos.

Esse reconhecimento demonstra que antigas barreiras impostas pelo regime de Pyongyang estão caindo.


Ore para que a conferência abra novas portas para que a ajuda aos irmãos da Coreia do Norte aumente.

Ore pela libertação definitiva do povo norte-coreano.


Fonte: Reuters e Agência Fides


sábado, 3 de setembro de 2011

Dia 3 – Lembre-se dos órfãos da Coreia do Norte

Para uma criança, viver na Coreia do Norte significa sofrer. Não há novidades no presente, não há expectativas para o futuro, só resta agüentar a fome e a tristeza que sempre rondam o dia-a-dia. Quando, de uma hora para outra, o pouco que ainda resta “a família” vai embora.

Não se tem idéia da quantidade de crianças que se tornam órfãs na Coreia do Norte, devido a prisões dos país ou deportações (caso tenham ido para a China). O governo não possui nenhum órgão voltado para a questão da criança e não demonstra interesse em reconhecer o problema dos milhares de órfãos abandonados pelas ruas das principais cidades, principalmente da capital.

Como a prisão de toda a familia também é uma forma corretiva usada pelo regime norte-coreano, os campos de trabalhos forçados possuem uma área dedicada à crianças. Isso não traz nenhum benefício, já que as crianças são também constantemente agredidas e obrigadas a trabalhar ao lado de adultos nos três períodos do dia. Porém, costuma-se ser longe do contato com os pais.

Normalmente, elas são liberadas da prisão e abandonadas sozinhas em alguma cidade. Geralmente, os pais já morreram ou ainda estão na prisão sem saber o paradeiro dos filhos e é apenas por milagre (a intervenção de Deus) que algum familiar as encontra.


Ore pelos órfãos da Coreia do Norte, para que Deus dê a salvação física e espiritual para essas crianças.

Peça pela libertação total da Coreia do Norte!


sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Dia 2 – Perseguição na Coreia do Norte gera crescimento da Igreja

Após um período de ministrações em território norte-coreano, o Pr. Eric Foley, da Igreja Evangélica de Colorado Springs e em Seul, detectou um significativo crescimento do Corpo de Cristo naquele país. “Na Coreia do Norte, não é apenas ilegal possuir uma Bíblia ou ir à Igreja, mas também inclinar a cabeça, fechar os olhos e adorar. Então, como resultado dessa perseguição, a Igreja tem crescido. Ao longo da história, igrejas tiveram que fazer discipulado com restrições, o que fez com que elas se desenvolvessem para que os cristãos crescessem, em plenitude, para o Reino de Deus”, disse o pastor.

O Pr. Foley, percebeu que a perseguição sofrida pelos cristãos por causa do opressivo regime de Pyongyang, ajudou seu fortalecimento espiritual. . A grande diferença sentida entre a Igreja Perseguida e a Igreja Livre, se deve ao fato de que o ocidente não entende a diferença que há entre liberdade de religião (liberdade de culto) e a atuação de Cristo. De acordo com o Pr. Foley, a Igreja norte-coreana, assim como a Igreja do primeiro século, experimenta uma fé baseada na atuação de Cristo. Ao passo que a Igreja Livre tem demonstrado uma confiança muito maior nas ferramentas materiais, desprezando as espirituais.

É por isso que a experiência da Igreja norte-coreana deve servir de exemplo à Igreja Livre, para o fortalecimento do Corpo de Cristo. Para o Pr. Foley, a perseguição purifica a Igreja e a prosperidade faz com que seja fraca. Segundo ele, a Igreja do mundo livre pode aprender muito com nações como a Coréia do Norte.

Ore para que Deus continue usando a perseverança da Igreja norte-coreana como modelo para a Igreja Livre.

Ore pela libertação total do povo norte-coreano em Cristo Jesus.

Fonte: Portas Abertas Brasil e Christian Post


quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Dia 1 – Dia de oração pela Coreia do Norte

No dia 22 deste mês, quinta-feira, ocorrerá o Dia de Oração pela Coreia do Norte. A data coincide com o dia em favor dos refugiados norte-coreanos, celebrado nos Estados Unidos. Esta mobilização tem como propósito levar a Igreja Livre separar-se durante este dia em oração pelo país que mais persegue os cristãos em todo o mundo.

Nos EUA outros eventos marcarão o dia, como a entrega de uma petição em favor da liberdade religiosa às embaixadas norte-corea

nas em vários países. Isso foi uma iniciativa mundial da ICC – International Christian Coucern, que mantém o site persecution.org.

Ore para que Deus levante pessoas para estarem orando unidas no dia 22 de setembro em favor da Coreia do Norte.

Ore pela libertação definitiva do povo norte-coreano.


sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Levante sua voz em favor dos norte-coreanos


Nos últimos meses, o ICC - International Christian Concern (persegution.org) vem trabalhando para trazer mais consciência sobre as atrocidades que acontecem na Coreia do Norte e o que podemos fazer para ajudar.Afinal, esse regime é conhecido por ser um dos piores perseguidores dos cristãos em todo mundo.

É alarmante saber que o governo norte-coreano está prendendo ativamente e, muitas vezes, executando os seus cidadãos apenas por tentarem fugir do país. Ainda mais alarmante é que aqueles que conseguem cruzar a fronteira da China (a única opção viável) devem esconder-se imediatamente, porque o governo chinês tem saído cada vez mais à caça de refugiados e, à força, repatriando-os de volta à Coreia do Norte, onde o tratamento desumano e, até a morte, espera aqueles considerados como traidores.

A fim de trazer a consciência global para a política cruel da China para com esses refugiados, que viola seus compromissos de tratados internacionais, o ICC entra em parceria com a Coalizão pela Liberdade da Coreia do Norte para um protesto internacional, na quinta-feira 22 de setembro, que coincide com o Terceiro Dia Anual dos Refugiados da Coreia do Norte nos EUA.

Este protesto vai chamar a atenção de embaixadas e consolados chineses em todo o mundo para a necessidade que os refugiados norte coreanos tem de não serem enviados novamente para sua terra.

Como você pode ajudar?

Participando do Dia de Oração pela Coreia do Norte, que ocorrerá no dia 22.09.11.

Organize grupos de oração em sua igreja, casa ou trabalho.

domingo, 7 de agosto de 2011

7º Dia – Ore pela unificação das Coreias

O interesse das nações mundiais pela situação do povo norte-coreano tem aumentado muito, isso recentemente. Mesmo com o número cada vez maior de desertores, mostrando o descontentamento com o atual regime, o desejo de unificação das Coréias tem sido agora, mais do que nunca, o maior anseio dos coreanos, tanto do norte quanto do sul. E, o apoio de outras nações se torna um incentivo para a retomada do diálogo. Entretanto, neste mês, quando seria realizada mais uma reunião rumo à unificação, o governo do norte se recusou a marcar o encontro, adiando por um tempo indeterminado a continuação dos trabalhos.

Ore para que caiam as barreiras que impedem as conversações sobre o plano de unificação. Peça a Deus para que a Paz do Senhor domine neste processo.

sábado, 6 de agosto de 2011

6º Dia – Exploração sexual de mulheres norte-coreanas

Desde a crise da década de 90, onde mais de um milhão de norte-coreanos morreram de fome, tem ocorrido migrações em massa para a China. Lá os norte-coreanos são tratados com descaso e desumanidade. De acordo com o relatório da Comissão americana para os Direitos Humanos na Coreia do Norte de 2009, oito a cada dez desertores são mulheres, a maior parte operárias e camponesas. E, se estima que cerca de 70% dessas mulheres acabam sendo vítimas de exploração sexual. Há inúmeros relatos de mulheres que foram enganadas e vendidas como escravas sexuais nas cidades chinesas. Onde passam a viver em condições precárias, sob torturas e estupros quase diários, chegando a ser revendidas várias vezes, perdendo o “valor” à medida que envelhecem ou a saúde deteriora. Por estarem em situação ilegal, não recebem nenhuma consideração por parte do governo chinês. Quando presas, são repatriadas para a Coreia do Norte, se forem encontradas grávidas, são forçadas a passar por um aborto doloroso e perigoso. Caso complete a gestação, o bebê é assassinado, muitas vezes, diante da própria mãe.


Ore pelas mulheres norte-coreanas, para que sejam livres de toda a exploração e encontrem a salvação em Jesus.


Fonte: UMAR e Human Rights Defence

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

5º Dia – Rolo compressor para matar cristãos na Coreia do Norte

Há algum tempo atrás se ouviu falar que o governo norte-coreano teria usado um rolo compressor para executar cristãos. A prática parecia absurda e cruel demais, mesmo para o atual regime, porém, relatos recentes de desertores confirmaram que este crime hediondo realmente aconteceu.

Não muito distante dos dias de hoje, em novembro de 1996, durante a demolição de uma casa desocupada, foram descobertos no porão uma Bíblia e uma agenda com 25 nomes, destacando quem eram os líderes. Rapidamente, agentes do governo prenderam todas as 25 pessoas da lista, separando os 5 líderes que tiveram suas mãos e pés amarrados. Eles foram, então, deitados em fila em frente de um rolo compressor. Os condenados foram acusados de serem Kidokkyo (cristãos protestantes) espiões e conspirarem contra o governo. Entretanto, antes de executar a sentença, lhes foi dito para negarem sua fé e adorarem a Kim Jong Il, a fim de continuarem vivos. Nenhum dos cinco respondeu. E, diante dos outros 20 cristãos e demais espectadores, o rolo compressor esmigalhou o corpo desses líderes. De acordo com o desertor que assistiu a execução, foi um momento de grande comoção, onde aconteceram gritos, choros e até desmaios. Não temos como saber quantas vezes essa prática aconteceu...

Ore para que Deus liberte a Coreia do Norte. Peça a Deus para que o mundo venha a saber a verdade sobre os genocídios (perseguições, morte pela fome e injustiças) cometidos lá.

Fonte: Northkoreanchristians.com

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

4º Dia – Traição na Coreia do Sul abala a esperança para a unificação

Um incidente recente abalou as estruturas da política interna da Coreia do Sul. Dezenas de pessoas na área acadêmica, funcionários do governo e até políticos estão sendo investigados. A acusação? Sul-coreanos que estariam espionando para o regime da Coreia do Norte. A notícia chocou a opinião pública já que os ataques ao navio Cheonan e a ilha de Yeonpyeong ainda continuam vivos na memória demonstrando o nível de impiedade com que o governo norte-coreano tem agido.

Entidades civis, em Seoul, promoveram alguns protestos exigindo transparência nas investigações e punição aos envolvidos. A população tem se revoltado pelo fato da motivação demonstrar-se ser apenas ganância. O que entristece a todos os que esperavam pelo progresso das negociações para o plano de unificação coreana.

Ore para que este incidente não atrapalhe as negociações de unificação. Ore pela interferência de Deus nas necessidades da Coreia do Norte. Ore para que Deus proteja a Coreia do Sul e lhe dê perseverança.

Fonte: Daily NK

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

3º Dia – Chamada em favor dos cristãos perseguidos na Coreia do Norte

Organizações de direitos humanos estão acusando o regime norte-coreano de colocar até 180 mil pessoas em trabalhos forçados, injustamente. Os cristãos são os que mais sofrem com a fome, torturas e execuções. Os poucos que conseguem alcançar a liberdade relatam que o período nos campos como “o inferno na Terra”.

Para sensibilizar o governo algumas organizações britanicas estão coletando assinaturas para uma petição pedindo liberdade religiosa para a Coreia do Norte. Já foi entregue a embaixada norte-coreana em Londres mais de 20 mil assinaturas de pessoas preocupadas com a situação dos cristãos naquele país.

A petição exige liberdade de culto e moderação ao tratamento dado aos cristãos, onde o simples ato de portar uma Bíblia, se torna um motivo de prisão ou execução.

A petição ainda está sendo coletada e pode ser assinada online neste link:

www.releaseinternational.org/petição

Ore que Deus esteja usando petições como esta para alertar a Igreja em favor dos irmãos norte-coreanos

Fonte: Assist News

terça-feira, 2 de agosto de 2011

2º Dia – Direitos Humanos para a Coreia do Norte

Em recentes reuniões sobre a preparação para a reunificação das Coréias, uma questão foi destacada: a vergonhosa lei dos direitos humanos na Coreia do Norte. O país é conhecido internacionalmente, como uma “grande prisão”. Seus cidadãos não possuem nenhum direito de expressão, moradia, segurança, alimentação ou livre aceso. Tudo é rigorosamente controlado pelo governo, que impõem pelos seus próprios critérios, as punições ou os benefícios sobre a sociedade.

Uma família pode receber regalias por trabalhar para o governo, e, imediatamente depois, perder todos os bens, ter entes executados ou enviados a campos de trabalhos forçados por anos, pelos motivos mais contraditórios. Desde estocar alimento ou até mesmo dividir seu alimento com outras famílias, por exemplo. Basta a mínima demonstração de ocidentalização ou algo que possa ser considerado cristianismo.

Peça a Deus que abençoe o tão sofrido povo coreano lhe dando a liberdade!

Lembre-se das crianças, velhos e mulheres que são quem mais sofrem com toda essa injustiça, coloque-os na presença do Senhor, pedindo mudança em sua vida.


Fonte: Daily NK

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

1º Dia – Apelo de uma jovem norte-coreana

Um momento muito especial ocorreu durante o Congresso de Lausanne III em 2010, na Cidade do Cabo, na África do Sul, quando uma jovem norte-coreana de 18 anos chamada Kyung Ju Song, leu seu testemunho perante uma platéia composta de importantes líderes de vários países.

Nascida em Pyongyang, filha única de uma família rica, seu pai era assistente do ditador Kim Jung Il. No entanto, aos 6 anos houve uma reviravolta em sua vida, quando sua família fugiu para a China, devido uma perseguição política. Lá, seus pais se converteram e, após a morte de usa mãe, seu pai começou a se preparar para voltar a Coreia do Norte como missionário. Infelizmente, foi denunciado ao governo chinês que o prendeu, deportando depois para a Coreia do Norte. Passou três anos preso e depois de solto, retornou à China, onde começou a se preparar para novamente voltar para a Coreia do Norte, munido agora de Bíblias para seus conterrâneos. Após dois anos de trabalho missionário, foi descoberto pelo governo norte-coreano e mandado para um campo de concentração. Desde então, não há nenhuma notícia sobre ele. Ao que tudo indica, é possível que tenha sido executado.

Quando seu pai foi preso pela primeira vez, em 2001, Kyung Ju Song foi deixada aos cuidados da família de um pastor chinês, aonde veio a se converter. Em 2007, um ano após a última prisão de seu pai, Kyung Ju foi encaminhada para morar na Coreia do Sul, porém, antes da viagem ela teve um sonho no qual Jesus a chamava para andar com Ele. Desde esse dia, Kyung Ju Song tem se preparado para levar o amor de Deus aos norte-coreanos. Atualmente, ela vem se esforçando para chegar a Universidade, para estudar Ciências Políticas e ser diplomata.

Ao final de seu testemunho, Kyung Ju fez um emocionado apelo para que aqueles líderes estivessem orando pela Coreia do Norte. Ela foi ovacionada por um longo e forte aplauso.

Ore para que a graça e a misericórdia de Deus alcancem o povo norte-coreano.



Fonte: JOCUM

quinta-feira, 7 de julho de 2011

7º Dia – Igrejas dos EUA socorrendo refugiados norte-coreanos

Algumas Igrejas dos EUA tem atendido a um chamado especial, o de socorrer refugiados norte-coreanos.

Recebendo esses refugiados em uma comunidade de amor e apoio espiritual, estas Igrejas os auxiliam suprindo suas necessidades básicas, ajudando na procura de emprego, formação profissional e aculturação em terras estrangeiras. Além, de oferecer suporte em situações de emergência.

Peça ao Senhor para multiplicar esses trabalhos, o amor e a boa intenção nos corações. E, que em breve, seja possível fazer esse trabalho em meio aos norte-coreanos na própria Coréia do Norte que estará livre pela mão do Senhor.

Fonte: PSALT

quarta-feira, 6 de julho de 2011

6º Dia – Lembre dos órfãos norte-coreanos

Atualmente, devido ao descaso das autoridades norte-coreanas, muitos orfanatos no país são sustentados por iniciativas internacionais, em grande parte, entidades missionárias. Apesar das barreiras impostas pelo governo, algo tem sido feito pelas crianças órfãs da Coreia do Norte, através desses ministérios. Muitos deles, tem visitado também escolas, dando material escolar e infra-estrutura.

O que chama a atenção é o custo mensal para alimentar um órfão na Coreia do Norte, que é de U$1,00 (um dólar). Com este valor, é comprado na China proteína de farinha de soja enriquecida e enviada diretamente para os orfanatos na Coreia do Norte.

Esses irmãos estão trazendo uma esperança para centenas de crianças que só poderiam esperar a morte.

Ore por esses ministérios que sustentam orfanatos em terras norte-coreanas.

Fonte: PSALT

terça-feira, 5 de julho de 2011

5º Dia – Está acontecendo algo novo na Coreia

O número de desertores vindos da Coreia do Norte aumentou consideravelmente. O ministério de repatriamento sul-coreano, que acolhe esses desertores, revelou que hoje uma quantidade maior de famílias (inteiras) tem conseguido fugir. Mesmo o governo chinês tendo intensificado a repressão aos desertores que tem de passar obrigatoriamente pela China. O que está acontecendo é que, antes que o governo chinês descubra onde estão os desertores, eles tem conseguido embarcar para a Coreia do Sul. Ainda o número de mulheres é maior do que o de homens e tem sido cada vez mais comum o reencontro com o restante dos familiares no sul. A quantidade de adultos jovens também é grande, 75% dos desertores são da faixa etária de 20 a 49 anos. O que demonstra que a força motriz do país está indo embora.

Graças a Deus está acontecendo algo novo na Coreia do Norte!


Peça a Deus para que os desertores norte-coreanos possam encontrar o Senhor em sua travessia e para que coisas novas continuem a acontecer.


Fonte: Kim Yong Hun para Daily NK

segunda-feira, 4 de julho de 2011

4º Dia – Precisamos orar por milagres na Coreia do Norte

Neste domingo, 03 de julho, a Suprema Corte do Irã anulou a sentença de morte do pastor Youcef Nadarkhani. Desde que foi anunciada a condenação, cristãos do mundo todo se levantaram em oração pela vida do pastor. Esta resposta que parecia impossível (casos como esse sempre terminaram em morte), mostra que a Palavra do Senhor se cumpre:

“Se Me pedires alguma coisa em Meu nome, Eu o farei.” João 14:14

Que a mudança de sentença do pastor Youcef seja um modelo para nós de quando o Corpo de Cristo se une em oração e milagres acontecem. A Coreia do Norte precisa de muitos milagres. O país ocupa o primeiro lugar, há nove anos, no ranking de países que mais perseguem os cristãos. Cerca de 30 mil cristãos estão presos em campos de concentração, juntamente com suas famílias, sem poder ter esperança de libertação. O medo e o silêncio ainda são os maiores sentimentos que os cristãos norte-coreanos carregam, devido à opressão que sofrem.

A Igreja de Cristo precisa orar mais pela Coreia do Norte.

Ore para que milagres aconteçam na Coreia do Norte e venha a libertação completa desse país.


Fonte: ASSIST News

domingo, 3 de julho de 2011

3º dia – Clamor pelas crianças que passam toda a vida em campos de concentração

Durante 4 anos, milhares de crianças judias sofreram as amarguras vividas nos campos de concentração na Europa e o mundo ficou estarrecido com isso. Mas, o que poucos se deram conta, é que fazem mais de 50 anos, que milhares de crianças estão vivendo as mesmas amarguras em campos de concentração na Coreia do Norte.

Lá, as crianças crescem em meio ao duro ensino diário de culto ao regime, torturas, escassez constante de alimento, sem conforto ou aquecimento.

Filhos de cristãos são condenados a passar o resto da vida nos campos. Muitos nascem e crescem na condição de escravos, sem saber que existe um mundo por detrás das cercas elétricas que fazem o limite dos campos.

Ore para que essas crianças sejam libertadas por Deus e que aprendam a crescer na presença Dele. Peça que Deus liberte a Coreia do Norte!

sábado, 2 de julho de 2011

2º dia - Jesus é a liberdade que a Coreia do Norte precisa

Nestes últimos dias, umas pixações feitas em um colégio, denegrindo o regime de Pyongyang, chamaram a atenção pela ousadia da denúncia e, principalmente, pelo fato de que a autoria deste ato (raríssimo na Coreia do Norte) ainda é uma incógnita.

É reconhecido que o povo norte-coreano vive sujeito a um rigoroso sistema que nega sua liberdade de expressão. Qualquer tentativa de manifestar seus pensamentos é duramente reprimida e a opressão, imposta pelo governo, é o único “direito” permitido a população.

Um exemplo disto está na triste realidade enfrentada por alguns moradores que vivem nas regiões afastadas da capital onde, propositadamente, não há fornecimento de energia elétrica, os quais são obrigados a viver sem conforto e em completa escuridão sem poder reclamar.

No entanto, nos dias de hoje, os norte-coreanos que antes viviam calados, tem demonstrado cada vez mais sinais de insatisfação. Com pequenas, mas freqüentes amostras desse descontentamento.

Ore para que o povo norte-coreano possa experimentar o direito de liberdade, encontrado em Deus.

Fonte: Daily NK

sexta-feira, 1 de julho de 2011

1º Dia – É o momento de Deus interferir na Coreia do Norte

Imagens secretas feitas recentemente por um observador japonês em visita a Coreia do Norte, confirmam o que já sabíamos: cidades limpas, mas cheias de órfãos e pessoas abatidas pela fome. No entanto, dessa vez, as filmagens revelaram algo novo. Os soldados bem uniformizados, mas bastante desnutridos!

De acordo com o observador, a crise econômica enfrentada atualmente é pior do que a ocorrida na década de 1990. Com o diferencial de que hoje, o povo norte-coreano tem demonstrado sinais de insatisfação e as nações “aliadas” (China e Rússia) vem cobrando um novo posicionamento de Pyongyang.

Esse diferencial é decorrente do clamor de pessoas do mundo todo em favor do povo norte-coreano.

Ore para que mudanças ainda maiores venham em resposta a interferência de Deus na Coreia do Norte.

Fonte: Religious Liberty Prayer Bulletins

terça-feira, 7 de junho de 2011

7º Dia – O campo norte-coreano está mais branco do que nunca

A cada mês se tem observado mais sinais de que a população norte-coreana tem ainda guardado sementes de esperança. A esperança de que haja uma saída para a terrível realidade vivida hoje. Duas canções populares que estão sendo cantadas em todo o país retratam em suas letras esse desejo.

Uma narra a força de uma mãe ao cuidar de sua família apesar da interminável fome, a outra, fala da garra em manter o otimismo em meio à diversidade.

Estas sementes de esperança demonstram que hoje a Coreia do Norte é um campo fértil para se plantar a Palavra de Deus.

Já existem algumas formas de semearmos esta Palavra e o maior suporte de que estas formas necessitam é a intercessão.

Ore para que Deus esteja abrindo e sustentando portas para semearmos a Sua Palavra no meio da população norte-coreana.

segunda-feira, 6 de junho de 2011

6º Dia – Relato desesperador de uma parteira na prisão

A ex-detenta nº 24 estava com 66 anos quando seu marido, um ex-militar, seus cinco filhos e netos fugiram para a China devido à fome. Dois de seus filhos foram capturados logo na fronteira, ela nunca mais os viu, o resto da família viveu por três anos em território chinês. Seu marido acabou morrendo de causa natural, porém, ela e sua neta foram presas e repatriadas. Então, levadas a um campo de prisioneiros, foram espancadas e submetidas a trabalhos forçados numa plantação de arroz.

Devido a sua idade e fraca saúde, a ex-detenta nº 24, foi encaminhada para cuidar das presas grávidas do campo. Durante todo o período em que permaneceu nessa atividade, ela tentava cuidar para que cada parto ocorresse sem complicações, porém, sua experiência se tornou em pesadelo. Sempre era acompanhada de um guarda, após envolver cuidadosamente o bebê num cobertor, o guarda obrigava-a a colocar a criança em caixas que seriam posteriormente enterradas, ocasionalmente, era obrigada também a realizar abortos forçados. Algumas experiências forma marcantes para esta senhora. Houve um parto em que a detenta deu a luz a uma criança saudável, filho de um chinês. Assim que viu o bebê, o guarda o jogou numa caixa alegando que a Coreia do Norte não tinha condições de alimentar crianças que eram filhos de estrangeiros. Certa vez, ao verificar que havia duas crianças que ainda estavam vivas, mesmo depois de terem passado um dia inteiro sem alimento nas caixas, tentou cuidar delas, mas foi duramente repreendida pelo guarda que executou as crianças friamente.

Quando foi posta em liberdade, a ex-detenta nº 24 voltou para a China com a neta. Mas foi recapturada e novamente encaminhada a um campo de prisioneiros. Separada de sua neta, começou a cantar hinos cristãos que havia aprendido na China e a insultar o ditador Kim Jung Il. Os guardas consideraram que ela havia enlouquecido e, com pena daquela senhora, a ajudaram a voltar para a China juntamente com sua neta. Lá, elas foram recebidas por cristãos que as encaminharam para a Coreia do Sul, onde vivem atualmente.


Ore pela recuperação desta senhora, que ainda tenta se curar das terríveis experiências vividas no campo de prisioneiros.

Ore pelas inúmeras detentas grávidas que vivem hoje nesses campos, para que a graça e a misericórdia de Deus as alcance.

Ore para que as pessoas que cruzam a fronteira entre a Coréia e a China possam encontrar a salvação em Jesus para que possam ser libertadas como essa senhora.

Ore para que a verdade e a liberdade completa venham para a sofrida nação norte-coreana.

domingo, 5 de junho de 2011

5º Dia – Projetos de risco para a Coreia do Norte

Fazer qualquer coisa em prol da Coreia do Norte pode ser muito arriscado. Não apenas pela segurança de quem executa, geralmente estrangeiros que sentem o chamado para levar o apoio aos irmãos, mas também quanto aos próprios norte-coreanos que arriscam a sua vida e a de seus familiares. O cuidado em se expor é a maior preocupação de quem atua no país.

Recentemente, tem se percebido um aumento da igreja subterrânea na Coreia do Norte, e isso tem trazido um alerta para entidades que dão suporte a essa igreja e uma necessidade para ampliar suas atividades. Novos projetos estão sendo desenvolvidos, que requerem muita coragem e envolvimento de diversas pessoas e recursos.

Ore por esses projetos de risco, pela proteção dos cooperadores e dos contatos locais, para que os recursos sejam conseguidos e para que sejam cumpridos os seus propósitos.

sábado, 4 de junho de 2011

4º Dia – Desertores que encontram a salvação

Essa é uma história que tem se tornado comum. Uma mulher norte-coreana decidiu fugir clandestinamente para a China a fim de poder encontrar alimento e retornar para seu lar, trazendo um pouco de alívio para a angustiante situação em que vivia. Logo ao chegar a uma das cidades chinesas que ficam próximas a fronteira com a Coreia do Norte, foi acolhida em uma casa para refugiados.

Lá, ela recebeu estadia, alimento e todo o apoio necessário para suportar o período que ficaria em terra estrangeira. Tudo era feito sem querer nada em troca. Mas, um dia ela percebe o motivo: eles eram cristãos. A primeira reação é de repulsa, pois sempre aprendeu que os cristãos são gente “subversiva”. Lhe ofereceram uma Bíblia, que ela se nega a ler, porque tinha sido ensinada que este livro é proibido. No seu país, todo aquele que possuía este livro, era executado.

Apesar disso, ela permaneceu no abrigo. Passava todo o período vago em frente da televisão, sempre deprimida. Então, pode perceber, pelos programas que assistia, a realidade da Coreia do Sul e pelo testemunho que aqueles cristãos demonstravam, que tudo o que haviam ensinado em sua terra era mentira. Então, em meio aos louvores que aprendera recentemente, aceitou a Jesus como Senhor e Salvador de sua vida, começou a ler a Bíblia que havia ganho e a se edificar.

Entretanto, seu período de permanência na China havia acabado e ela precisava voltar para a Coreia do Norte. Como sabia que se levasse a Bíblia, colocaria em risco os seus familiares que não eram cristãos, decidiu deixá-la na casa-abrigo para um outro refugiado. Antes, decorou todo o livro de Romanos, para que pudesse lhe servir de edificação pelo resto da vida em sua pátria.
Nunca mais os cristãos daquele abrigo ouviram falar dela, nem ao menos puderam encontra-la na Coreia do Norte. O único consolo, era a esperança de um dia poder vê-la novamente quando estiverem juntos diante do Cordeiro.


Ore pelos norte-coreanos que passam um período na China, geralmente abrigados em casas de abrigo missionário, e, que acabam tendo que voltar para o lar sendo proibidos de acreditar em Jesus. Também, peça ao Senhor pela liberdade definitiva da Coreia do Norte.

sexta-feira, 3 de junho de 2011

3º Dia – Mesmo com a perseguição a igreja norte-coreana cresce!

Apesar de estar ocupando pelo 9º ano consecutivo o primeiro lugar isolado da lista divulgada pela Missão Portas Abertas, como o país que mais persegue o cristianismo em todo o mundo, e, neste ano, receber o título de “país de preocupação específica”, no relatório da Comissão Internacional para Liberdade Religiosa organizado pelo Departamento de Estado dos EUA, a Coreia do Norte, a despeito de todas as espectativas, tem vivido um significativo crescimento do Corpo de Cristo.

Estimasse que agora já haja cerca de 50 mil seguidores de Jesus vivendo de forma secreta, de acordo com relatos de desertores e ONGs de direitos humanos. Nos 12 campos de prisioneiros políticos, existentes no país, há cerca de 30 mil cristãos detidos. E, ainda um número aproximado de 10 mil evangelistas que atuam secretamente dentro do território norte-coreano.

No lado do governo, a vigilância na fronteira e as prisões em massa, tem demonstrado que as autoridades norte-coreanas estão monitorando este crescimento. A prisão estratégica de Jun Yong Su foi um exemplo desta ação. Ao suspeitar de seu envolvimento com a igreja subterrânea, o governo aguardou o momento do encontro dele com cristãos secretos, com a intenção de descobrir e eliminar a rede de igrejas que, até então, parecia nem ao menos existir. Infelizmente, isso poderá fazer aumentar a perseguição.

Ore pelo crescimento da igreja na Coreia do Norte. Peça a Deus pela proteção e edificação de líderes e obreiros que atuam nas redes das igrejas subterrâneas.

Ore pela vida dos evangelistas e pelos servos do Senhor que estão nas prisões. Para que possam ter a liberdade de expressar sua fé.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

2º Dia – Libertação de um missionário

Em novembro de 2010, Eddie Jun Yong Su, um norte-americano descendente de coreanos foi capturado junto com outros dois missionários chineses, quando estavam repassando Bíblias e outros materiais para cristãos secretos na Coreia do Norte.

A última informação recebida, pelos missionários chineses que foram soltos posteriormente, foi que Jun Yong Su passou por uma severa seção de tortura, assim como eles, possivelmente para que ele revelasse os contatos da igreja subterrânea norte-coreana. Jun ficou momentaneamente impossibilitado de andar, devido à tortura.

Durante os últimos seis meses, a família que reside nos EUA, levantou uma campanha em favor de sua libertação, recebendo o apoio do ex-presidente Jimmy Carter e de Franklin Graham, filho do evangelista Billy Graham. Cada um enviou um apelo pela libertação do missionário junto ao governo norte-coreano, a resposta até então havia sido que Jun Yong Su seria acusado de “crimes contra a nação”.

Entretanto, em maio deste ano, o governo da Coreia do Norte decidiu libertar Jun, durante a visita do enviado norte-americano para direitos humanos, Robert King.

O governo de Pyongyang tem intensificado a vigilância contra cidadãos estrangeiros em visita à Coreia do Norte, para evitarem o contato com os cristãos secretos do país, onde o cristianismo é considerado uma ameaça ao regime.

Ore pela segurança dos missionários que visitam a Coreia do Norte para apoiarem a igreja de lá. Peça em favor da recuperação de Jun Yong Su e agradeça a Deus por sua liberdade.

Ore pela igreja norte-coreana que tem sido sufocada pela pressão do governo.

Ore para que este regime caia e a liberdade em Jesus prevaleça.

quarta-feira, 1 de junho de 2011

1º dia – Agradecimento às respostas de orações: não estamos sozinhos!

Em fevereiro, foi motivada a intercessão em favor da população que perecia pela fome na Coréia do Norte. No mês seguinte, a ONU alertou para a piora desse quadro. Porém, no mês de abril, de forma totalmente inesperada, o preço do arroz despencou, tornando-o acessível à desesperançada população. Esperava-se que as prateleiras logo ficassem vazias, devido a excessiva procura. Entretanto, um fenômeno ocorreu e a quantidade de arroz foi o suficiente para suprir a população até a colheita da batata. Isto é, além do Senhor responder as orações com a vinda de alimento, ainda proveu a multiplicação deles. Devemos continuar pedindo, devemos continuar acreditando.

Há muitas súplicas a se fazer e nem sempre nos lembramos de reconhecer as respostas de orações obtidas.

O agradecimento é um reconhecimento de que Deus está agindo por nós quando clamamos. E, serve para nos fortificar em meio à batalha, nos lembrando de que não estamos sozinhos e precisamos continuar. A oração como ferramenta de fé é o que nos sustenta.

Agradeça a Deus por mais esta resposta de oração e por muitas outras que Ele ainda fará.